Superbactérias e Resistência a Antibióticos

27/05/2011 08:40

 

 

 

 

SUPERBACTÉRIAS E RESISTÊNCIA A ANTIBIÓTICOS


 
 
 

Desde que Alexander Fleming descobriu o primeiro antibiótico, a penicilina, em 1928, o homem e a bactéria disputam uma corrida e a liderança da competição vem se alterando o tempo todo. A previsão, porém, é de que os antibióticos, as drogas milagrosas do século XX, terminem vencidos pela bactéria, um dos seres mais primitivos na face da Terra. Se isso de fato acontecer, a humanidade fará uma viagem no tempo em marcha ré: voltará a era em que as mulheres morriam de parto por causa de contaminação no sangue, quando uma simples infecção de ouvido infantil podia se transformar numa terrível meningite e pequenos cortes, as vezes, provocavam até complicações fatais.
Ninguém imaginaria um cenário tão funesto, há pouco mais de dez anos. No início dos anos 80, a impressão que se tinha era de que, para quase todo mal, havia remédio. Especialmente, em casos de infecções bacterianas, já que triunfavam os antibióticos, medicamentos cujo nome significa "antivida", mas que, na realidade, só agem sobre bactérias. Assim, a ciência médica se declarou vitoriosa e voltou para casa cedo demais, Hoje em dia, não existe absolutamente uma única bactéria que não seja capaz de se desviar, na melhor das hipóteses, de dois antibióticos. Algumas espécies, aliás, já derrotam os mais importantes grupos dessas drogas.
Numa experiência recente, cientistas Ingleses misturaram duas espécies de bactérias, a Staphylococcus e a Enterococcus. A primeira era quase imbatível, porque já tinha deixado para trás os mais de 200 tipos de antibióticos conhecidos, com exceção de um deles, a

vancomicina. A segunda espécie, por sua vez, sabia o que fazer para derrotar justamente a tal vancomicina - e foi esse segredo que transmitiu para o Staphylococcus aureus, passados alguns dias de convivência em tubo de ensaio. Isso, ocorreu em 1997, em um laboratório da Faculdade de Medicina de Londres, na Inglaterra. Mas não há rastros do estudo, a não ser uma pilha de papéis, relatando o ocorrido. Dois novos antibióticos lançados no Brasil em 2000, o Zyvox e o Synercid, funcionam onde a vancomicina falha. Tomara que por muito tempo.

 

 Causas da resistência bacteriana
 

 

As bactérias surgem na terra há cerca de 3,5 bilhões de anos ,em ambiente hostil:temperaturas altíssimas, radiações ultravioleta e cósmica,tempestades e falta de nutruentes.Elas superaram tudo e evoluíram para ocupar todos os hábitats,até aqueles de condições mais extremas.Sua grande capacidade adaptação está associada  à estrutura genômica,que garante a troca de genes entre as bactérias ,usando para isso elementos não cromossômicos:plasmideos,tronsposons e até bactériófagos Estas últimos destroem as bactérias hospedeira,mas podem carregarn e espalhar genes bacterianos.

*A causa primária é a mutação espontânea  e a recombinação dos genes ( reprodução),que criaram variabilidade genetica na qual atua a seleção natural, dando vantagens aos mais aptos.As drogas atuam como agentes seletivos, favorecendo as raras bactérias resistentes presentes na população.

*O uso abusivos dos antimicrobianos contribui para aumentar a pressão seletivas desses drogas criando ambiente muito favorável ás bactérias resistentes.

* A indicação indiscriminada de drogas por médicos.

* A auto medicação de pacientes (toma-se na dose errada e em situações erradas como  gripes por exemplos.Lembre que os antibióticos so atacam celulas e os virus são acelulares).

*O uso aditivo em rações animais, principalmente para  aumentar o  peso.

* Tecnologio do DNA recombinate,que permiter criar organismos trangênicos quase sempre usa como vetores pequenos plasmideos.Como em geral estes contém genes de  resistência as drogas, o produto final deve ser contamindo.

*Um só gênero da bactérias do solo,o Etreptomyses, produz mais de 50% dos antibióticos disponives no mercado.

*A maior imunodepressão dos pacientes,decorrentes de AIDS,quimiterapia e maior frequência de transplantes.

 

ATUAÇÃO DOS ANTIBIÓTICOS

 

1-BACTERICIDAS: Atuam na menbrana plasmática ou parade celular bacteriana,inibindo sua síntese ou provocando sua destruição.Como exemplos temos os antibioticos penicilina,cefalosporina e vancomicina que atuam sobre as enzimas responsáveis pela síntese da parede.

A parede pode adiquirir resistência prodizindo enzimas(tranferases e betalactamases), que alteram ou dregadam drogas, por inibição da permeabilidade de membrana plasmática e pelo efruxo de drogas- bombardeamento de drogas para fora da célula.

2-BACTERIOSTÁTICOS: Atuam sobre o matérial genêtico bacteriano (cromossomo e plasmidio) bloqueando a replicação do DNA e a transcrição.Atuam também sobre os ribossomos, RNA mensageiro e transportador bloqueando à sintese de proteinas. Dessa forma as bacterias ficam estaticas e morrem.Como exemplo temos a tetraciclina,o clorafenicol e os novissimos zivox e synercidi.

 

CURSO DE BIO-ATUALIDADES

Prof.José Vagner Gomes

 

 http://www.literaria.pro.br/antibioticos_intro.htm